Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Eurovisão

por Miguel Bastos, em 10.05.24

abba.jpg 

Este fim de semana, há festival da Eurovisão. Este ano, é na Suécia. A terra dos ABBA. Quero que saibam que o assunto não me diz nabba. Desculpem, nada.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Dias às pinguinhas

por Miguel Bastos, em 30.04.24

fame.JPG 

Ontem, foi Dia da Dança. Hoje, é Dia do Jazz. Em vez de estar a fazer dias às pinguinhas, devíamos apostar em grande e fazer tudo num só dia. O Dia da Dança Jazz. Fica a sugestão.

Autoria e outros dados (tags, etc)

TV Rural

por Miguel Bastos, em 29.04.24

Em 1960, o eng. Sousa Veloso criou o "TV Rural". O programa de televisão durou 30 anos; atravessou a ditadura e a democracia; a direita e a esquerda; o "orgulhosamente sós" e o "ai, os senhores da Europa"; a televisão a preto e branco e a cores. Passados mais de 60 anos (e 50 do 25 de Abril) o que mudou? Pelos vistos, pouco.

O presidente da República considera que o primeiro-ministro é lento, porque é rural. Estão a ver o estereótipo? Urbano é rápido. Rural é lento. Urbano anda de carro. Rural anda de trator. Urbano é sofisticado. Rural é arcaico. A autarca de Espinho (terra de Montenegro) não gostou do que ouviu. Disse que a cidade tem pouco de "rural", que é um destino de verão de pessoas endinheiradas e que até tem um casino (ena, ena!). Convidou, depois, o presidente a visitar Espinho. "Para quê?", pergunto eu, "Para ver um casino?!" O presidente mora perto de um, não precisa de ir a Espinho. Sem querer (presumo), a autarca de Espinho - ao querer contrariar o presidente - acaba por partilhar o mesmo estereótipo.

Por mim, gostava mais que tivesse dito "Quem diz é quem é" (viram o nível de sofisticação?!) e se despedisse "com amizade até ao próximo programa".

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Mais Dallas

por Miguel Bastos, em 29.03.24

bobby e jr.jpg 

Ontem, escrevi sobre a repetição do Dallas, na RTP.  E, depois, dei por mim a pensar numa versão mais contemporânea desta série. Seria uma coisa à volta do abandono do petróleo e a opção pela economia verde. Por exemplo, a Ewing Oil passava a Ewing Wind. No primeiro episódio, podíamos ver os manos Bobby e JR numa luta, mano a mano, para verem quem conseguia ser mais competitivo a descarbonizar o planeta. Enquanto lutavam, o Cliff passava de bicicleta e punha-lhes a língua de fora. Na cena seguinte, percebíamos que tinha ganho uma concessão eólica "offshore", porque tinha obtido informação privilegiada de uma das amantes do JR. Por causa das amantes, o JR - que agora era vegan e deslocava-se de trotinete - continuava a ter uma pegada ecológica muito questionável, pelo consumo exagerado de produtos de latex descartáveis. A Sue Ellen também, porque, entretanto, para largar a bebida, tinha começado a consumir abacate como se não houvesse amanhã, com consequências devastadoras para o ecossistema algarvio. A Pamela mudava de penteado, para deixar de usar produtos com CFC, que dão cabo do ambiente, e, assim como assim, precisava de ter um estilo mais prático que combinasse melhor com a paixão pelo "plogging". Isto depois continuava, claro. Para já, é só uma ideia. Mas, já tenho um nome para a série. Vai-se chamar "Comprallas". Porque isto é gente muito ecológica e tal, mas não dá nada a ninguém.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Dallas

por Miguel Bastos, em 28.03.24

DALLAS.jpg 

O Dallas está a dar, de novo, na RTP. Eu gostaria muito de voltar a ver, mas aquilo faz-me mal aos nervos. Portanto, vou precisar da vossa ajuda. Alguém pode avisar a Miss Ellie que o JR é mau como as cobras, por favor? Com jeitinho, que é para a senhora não ter um chilique. Ainda me desata a beber, ou assim ... e para bêbada já nos basta a Sue Ellen. Obrigado.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Dar a ver

por Miguel Bastos, em 07.01.24

20240107_172445.jpg 

"A rádio dá a ver. Pode parecer obsceno, mas muitas vezes a rádio consegue dar a ver com maior eficácia, com maior verdade, do que a televisão." Fernando Alves, no Público. Estou a ver a rádio, no jornal.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Inculta

por Miguel Bastos, em 02.10.23

IMG_0256.jpg 

Esta entrevista de Joana Marques, ao Expresso, anda na minha cabeça, há uma semana. Na capa da Revista, lê-se que Joana vem de uma família de intelectuais. Não é a primeira, nem será a última. Muitas figuras, com destaque no espaço público nacional, vêm de famílias de intelectuais. Geralmente são, também elas, intelectuais. E há, também, muitos casos de intelectuais que vêm de famílias de operários, agricultores ou comerciantes. É o resultado de uma longa aposta na educação, que tem contribuído para aquilo que, geralmente, se designa como "mobilidade social". Uma mobilidade "para cima", que Joana Marques terá colocado em causa. Em casa, a mãe de Joana dedicava-se às traduções, o pai à história, o irmão à filosofia. Joana dedicava-se a ver programas de Teresa Guilherme. Ainda é assim. O pai (João Pedro Marques) escreve "romances históricos, e grandes" que ela não lê "e ele sabe". E eles, em casa, não percebem bem quem são as pessoas, em causa, que ocupam os programas de Joana. É certo que, a dada altura, Joana confessa que "gostava de" se sentir "um bocadinho menos inculta"; mas, logo a seguir, confessa que não gostou muito de andar na universidade porque "parecia que estava em casa!". Não haverá muitos casos assim, em Portugal. Mas creio que se irão tornar, cada vez mais, comuns. Poderíamos pensar que é uma tragédia, mas é comédia.

Autoria e outros dados (tags, etc)

A série

por Miguel Bastos, em 05.06.23

rabodepeixe.jpeg

Agora a série (ui, linguagem inclusiva!). Os modernos estavam tão embrenhados na discussão sobre qual a série mais "cool" da actualidade - "Sucession" ou "Rabo de Peixe" -, que passaram ao lado da série do momento - a série "E". Alerta "spoiler": não vale a pena puxar atrás ou subscrever porque já acabou. Mesmo. (Eu sei que não é comum nas séries). Segue-se a série "F".    

Autoria e outros dados (tags, etc)

Os portugueses querem...

por Miguel Bastos, em 19.05.23

corta.jpg 

- Quem é que escolheu este canal?
- Não sei. Queres que peça para mudar?
- Está bom. Não há paciência para aquelas coisas no parlamento.
- Pois.
- Acham, mesmo, que os portugueses têm paciência para aquilo? Os portugueses querem é saber da economia, do emprego, da educação, da saúde...
- O que é que estás a fazer?
- Vou só espreitar o telefone, porquê?
- Porque deves ser espanhol.
- Não percebi.
- "Os portugueses querem é saber da economia e do emprego..."

Autoria e outros dados (tags, etc)

CPI TAP

por Miguel Bastos, em 17.05.23

Esta série nova - CPI TAP - deve ser boa, porque tem passado em vários canais. Não tenho visto, mas deteto-lhe um defeito. O elenco está a mudar muito. E, isso, dificulta o acompanhamento da história e a ligação aos personagens.

Autoria e outros dados (tags, etc)


Mais sobre mim

foto do autor


Calendário

Maio 2024

D S T Q Q S S
1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031

Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Arquivo

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2023
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2022
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2021
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2020
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2019
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2018
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2017
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2016
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2015
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D