Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Dignidade no trabalho

por Miguel Bastos, em 11.07.23

almofadas.jpg 

Um dia destes, farei um texto espetacular sobre a dignidade no trabalho. Será uma coisa como deve ser: bem pensada, bem escrita, com citações eruditas e notas de rodapé. Infelizmente, agora não tenho tempo. Tenho que pôr estas almofadas na cama, coitadas!

Autoria e outros dados (tags, etc)

Os novos 50

por Miguel Bastos, em 06.07.23

cafe das ideias.jpg 

Era meia-noite e meia, em Avignon, quando a encenadora francesa Julie Deliquet atravessou o palco do Cour d’ Honneur, do Palácio dos Papas, de braço dado com o realizador norte-americano Frederick Wiseman, de 93 anos.

Ao final da manhã, a dupla já estava sentada, no Pátio dos Claustros de São Luís para um Café das Ideias, um espaço de debate e convívio do Festival.

Para aqui chegar precisei de 3 cafés. Estou um trapo. O senhor de 93 anos (pelo contrário) parece impecável. Confirma-se: os 90 são os novos 50. E vice-versa.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Teatro

por Miguel Bastos, em 21.04.23

©TUNA_TNSJ-longaJORNADApromoABR12_NET-5896.jpg

Ouço-me, nos arredores da cidade, com vista para um campo plantado com galinhas, sanitas e pneus. O encenador Ricardo Pais regressa ao Teatro Nacional de São João, casa que dirigiu durante 10 anos. O assunto é notícia. O trabalho de reportagem teve dois atos, com um longo interlúdio com o Presidente da República, no dia em que vetou a lei da eutanásia. Só retomei o trabalho sobre a peça de teatro, já cansado, ao final do dia. Daí a vontade de verificar, no dia seguinte. Será que ficou bem? Aparentemente, sim. No regresso a casa, puxo a emissão da Antena 2 atrás e ouço a voz de Ricardo Pais a abrir e, depois, a trespassar a manhã. Descanso, finalmente.

[Fotografia: Teatro Nacional de São João]

Para ouvir aqui (Reportagem aos 7'40''):

https://www.rtp.pt/noticias/noticiario-antena1/10h00-edicao-de-miguel-soares_a1_1480832?fbclid=IwAR1vnfpYx6tIMQYDve7hBSmyCDQoH4FLaBbFP-5eliQUQv13g89O1JHcZzM

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Raves

por Miguel Bastos, em 20.03.23

branko.jpg

- Afinal, o que é isso das "raves"? - perguntou-me o Joaquim.

- São festas com música de dança, noite fora.

- Música de dança, como? Danças de salão? Disco? Samba?

- Basicamente, música eletrónica: house, techno.

- Então, é uma noite de discoteca normal.

- Acaba por ser. Mas, muitas vezes, as "raves" são feitas em sítios diferentes. 

- Tipo…

- Zonas industriais, monumentos, praias...

- Ah. E depois, ficam na praia?

- Não, depois as pessoas estão estoiradas e vão para casa dormir.

- Que pena. Quando eu vivia em Angola, também fazíamos festas para dançar a noite toda.

- A sério?

- É. Eu e os meus amigos pretos das cubatas. Depois, íamos comprar pão e ficávamos na praia, a dormir.

O Joaquim viveu em Angola, até 1975. África está-lhe entranhada na pele. De tal forma que, apesar de ser branco, muita gente chama-lhe "preto": o "Quim Preto". Lembrei-me dele, porque fui a uma festa, num teatro, que parecia uma "rave". Parecia, mas não foi. Porque acabou, ao fim de hora e meia. Enfim, coisas de Branko.

Autoria e outros dados (tags, etc)

As bruxas

por Miguel Bastos, em 16.03.23

bruxas.jpg 

A Segunda Guerra terminava e começava uma nova. A Guerra Fria fez crescer o medo do comunismo e trouxe um clima de paranóia, vigilância e perseguição para o interior dos Estados Unidos. Os mais afetados foram, sobretudo, os intelectuais e os artistas. Este período ficou conhecido como "macarthismo". O processo como a "caça às bruxas". Foi neste contexto, que o dramaturgo Arthur Miller voltou ao caso das Bruxas de Salém. A história, verídica, remete para o século XVII, quando várias pessoas de uma pequena povoação foram perseguidas e julgadas por bruxaria. Arthur Miller descreve bem o ambiente de intimidação e horror, em que uns acusam outros, em que uns são jogados contra os outros, num processo irracional e autodestrutivo.
 
Numa altura em que a qualidade da democracia é ameaçada pelo crescimento do populismo, pelo poder desregulado das redes sociais, pela nova cultura do cancelamento, por novas caçadas a bruxas, o encenador Nuno Cardoso leva a peça As Bruxas de Salém, ao palco do Teatro Nacional São João, no Porto. Arrepiante. Inquietante.
 
[Fotografia: TNSJ]

Autoria e outros dados (tags, etc)

Próxima estação...

por Miguel Bastos, em 14.09.21

Aviso: a próxima imagem pode chocar as pessoas mais sensíveis. É dedicada a toda a gente que anda doida com a reabertura de uma estação de metro, na capital do país.

maluquinha.jpg

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tiago Rodrigues

por Miguel Bastos, em 05.07.21

https://www.rtp.pt/noticias/cultura/tiago-rodrigues-e-o-novo-diretor-do-festival-davignon_n1333070

Não será coincidência. No dia em que "O cerejal" é apresentado em Avignon, Tiago Rodrigues é confirmado como o novo diretor do Festival. Um cerejal no topo do bolo.

https://www.rtp.pt/noticias/cultura/tiago-rodrigues-e-o-novo-diretor-do-festival-davignon_n1333070

Autoria e outros dados (tags, etc)

Macho latino

por Miguel Bastos, em 28.04.21

casal da treta.jpg

Vamos ao estereótipo: camisa aberta, bigode, brilhantina e palito na boca. De piropo fácil e trocadilho picante, é um fala barato que canta de galo. O macho latino (dizem que, outrora, apreciado) passou de moda. Será? Despido do estereótipo visual, há um modo de ser e de estar que parece longe de estar extinto. Aquele "agarrem-me, senão eu mato-o", o "havia de ser comigo", a certeza de que "eu fazia isto e aquilo" - que só são ditos, porque sabe que nunca será com ele. Além de espalhar charme, o macho latino mostra-se valente e decidido. Mas é só um "gabarolas", um "pintarolas", quando não um "cobardolas".

Na versão moderna, em vez de dizer que fazia assim ou assado, passou a achar. Acha que o governo devia fazer assim e que a oposição devia fazer assado. Acha que os médicos assim e que os empresários assado. Que os professores isto e que os autarcas aquilo. Acha que este é um incompetente, aquele é burro, o outro tem cunha, aquilo é corrupção. E acha que se deve demitir, despedir, prender. E acha isto tudo sem saber ler nem escrever, nem estudar, nem fazer. No fundo, o macho latino deu lugar ao (como é que lhe hei de chamar?)... ao "acho latino". Parece-me um bom nome: acho latino. Acho eu...

Autoria e outros dados (tags, etc)

Encenar Tancos

por Miguel Bastos, em 01.10.18

la feria.jpeg

A descoberta das armas de Tancos foi uma encenação, confirmou o diretor da Polícia Judiciária Militar. Convenhamos, a coisa cheirava a ópera bufa. Mas, encenação por encenação, venha o La Féria. Tem mais luz, mais cor, mais movimento. Tem lantejoulas e purpurinas. Tem classe. Encenar é uma arte para profissionais.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Globos de Ouro: alhos e bugalhos

por Miguel Bastos, em 25.05.15

globos de ouro.jpg

 

Não antipatizo com os Globos de Ouro. Temos pessoas com talento e acho que as devemos premiar. E há gente bonita, para passear na passadeira vermelha e sentar no Coliseu. E gente interessante para actuar e fazer discursos no Coliseu. O que me custa é acabar tudo a discutir vestidos.

 

Mas há outra coisa que me faz confusão. Nos Globos de Ouro, há um júri especializado para nomear quem se destacou nas diferentes categorias. Depois, as pessoas votam nos seus favoritos. O que levanta problemas.

 

Por exemplo, na categoria de teatro ganha sempre por um ator que as pessoas conhecem da televisão. Não quero parecer elitista. O problema não é um ator ser mais conhecido do que outro. O problema é um actor ser nomeado pelo desempenho numa peça de teatro e vencer (ou perder) pela sua prestação na telenovela das nove. É um equívoco que se estende ao cinema e ao desporto. Neste último caso, juntam-se várias modalidades e vence o tipo do futebol. Ou seja, Cristiano Ronaldo.

 

Nos Globos de Ouro, misturam-se alhos e bugalhos e, ao contrário dos vestidos, nunca vi ninguém a discutir isto.

Autoria e outros dados (tags, etc)


Mais sobre mim

foto do autor


Calendário

Março 2024

D S T Q Q S S
12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31

Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Arquivo

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2023
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2022
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2021
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2020
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2019
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2018
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2017
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2016
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2015
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D