Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Fora da caixa

por Miguel Bastos, em 17.01.22

A pandemia está, permanentemente, a trocar-nos as voltas. Desde que regressei, fisicamente, à redação da rádio, tenho passado por vários programas e horários. Desde aquele em que saio "fora da caixa", às sete da manhã; até àquele em que saio "da minha zona de conforto" às 3 e meia da manhã, para termos notícias "no ar" às sete. Tenho assumido tantos desafios, que até já pensei em apresentar-me como "empreendedor".  

Autoria e outros dados (tags, etc)

É só conversa

por Miguel Bastos, em 12.01.22

antena aberta.jpg

"Falam, falam, falam"; "Prometem isto e aquilo"; "É só conversa".
"A democracia é sobretudo conversa", responde Adelino Maltez, "conversa pluralista".
O Professor Jubilado de Ciência Política tem acompanhado, "com muito entusiamo", os debates na televisão: "têm sido uma festa da democracia. Faz-me lembrar os primeiros tempos da democracia pluralista". E, depois, fala numa espécie de "Taça de Portugal" da democracia, em que os pequenos partidos jogam com os grandes, de igual para igual.
Conversemos, então.

Autoria e outros dados (tags, etc)

O amor e o gajo

por Miguel Bastos, em 28.11.21

amor e.jpg

"Eu tenho passado bem", diz o sr. padre, "o gajo não me apanhou". O "gajo" é o vírus. O sr. padre é o teólogo e filósofo Anselmo Borges. "Eu, também, me tenho desviado, tenho-me portado bem". Neste mundo, em que já se viu de tudo, há sempre coisas novas para ouvir. E é, por isso, que eu continuo a gostar tanto da rádio. "O amor é", esta manhã, com a "Inesita" (Anselmo Borges, dixit) e o "Professor Júlio Machado Vaz".

Autoria e outros dados (tags, etc)

30 anos, baby

por Miguel Bastos, em 18.11.21

Normalmente, o lançamento de um disco não é assunto de noticiário. E nunca é abertura de noticiário. Mas, há 30 anos, foi. Lembro-me da TSF abrir o noticiário das 8 com guitarras distorcidas, sons industriais, eletrónica ambiental, ritmos tribais a desaguar na dança, e uma voz carregada de efeitos. Um OVNI, na rádio portuguesa. Um OVNI planetário, soube depois. Os pacifistas U2 desencadearam uma espécie de blitzkrieg artística. Eu, que era leitor do Blitz (e do Sete, do Público, do DN, do Expresso, e do NME e do Melody Maker...), fui apanhado pelo ataque surpresa. Os U2 mudaram tudo: da luz do sol, para as luzes de néon; da América para a Europa; do deserto para a metrópole; da flanela para o nylon; do rock puro e duro, para o rock sujo, industrial, eletrónico, rítmico, pulsante. Olhei, boquiaberto, para Bono - maquilhado, com óculos de mosca, repleto de brilhos - e esfreguei os olhos e os óculos. Um Bono mais Bowie do que Dylan. Nunca visto, nunca ouvido.

 
É claro que, mais tarde, ao raspar o verniz, ao soprar as purpurinas, reencontrámos os U2 de sempre - com as suas canções e as suas causas - a conviver com os novos - mais dançáveis, mais eletrónicos, mais experimentais. Os U2, a inventar o futuro. Um disco como "Achtung baby" é uma coisa rara. Continua a ser. Faz 30 anos. Espantoso. Podem fechar a boca. Para não entrar mosca.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Mudar o mundo

por Miguel Bastos, em 03.11.21

engarrafamento.jpg

- O que é se passa, hoje? O trânsito está terrível!
- Por onde é que queres que comece: "acidente com dois pesados, junto ao nó da autoestrada, provoca engarrafamentos"...
- A sério?
-"encerramento do túnel para obras"; "greve nos transportes públicos"...
- Já percebi.
- Olha lá, tu não ouves rádio?
- Ouço, mas, hoje, a minha filha mudou para uma daquelas rádios "bué da jovens, tás a ver?"
- "Ya", quando os jovens querem mudar o mundo, mudam de canal.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Horário nobre

por Miguel Bastos, em 12.10.21

manhã1.jpg

"Não há dúvida, que a manhã continua a ser o horário nobre da rádio", dizia-me ele, "É lá que tens os melhores locutores, os melhores editores, os melhores repórteres, os melhores cronistas, as melhores rubricas". E continuava, "É evidente que é durante a manhã que as pessoas ouvem mais, e que o nosso trabalho tem mais visibilidade." "Ouve, é o período mais dinâmico, mais interessante". "Volto a dizer" (e dizia, com a mão direita a cortar o ar) "a manhã é o melhor horário da rádio." Coloca uma pausa dramática e deixa antever um sorriso: "É pena não ser de tarde."

Autoria e outros dados (tags, etc)

John Lennon

por Miguel Bastos, em 10.10.21

lennon.jpg

Lembro-me que ouvi "Woman", pela primeira vez, na rádio. Talvez no programa de disco pedidos. Foi, também, na rádio que ouvi anunciarem a morte de John Lennon. E, hoje, a rádio lembrou-me que Lennon faria 81 anos. A efeméride fez-me voltar a "Double Fantasy". É o disco que tem "Woman" a tal canção, dedicada a Yoko Ono. De resto, todo o álbum é partilhado com Yoko Ono e aborda a vida familiar de ambos e do filho que geraram: Sean. Das canções mais clássicas, às mais experimentais, "Double Fantasy" ainda é um disco surpreendente. Em vez de um "Rest in Peace" estafado, resolvi não dar descanso ao John e trouxe-o para a rádio. Afinal, foi lá (foi cá) que nos conhecemos.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Rádio

por Miguel Bastos, em 04.10.21

antena mais cortada.jpg

A dada altura, deixei de reconhecer um estúdio de rádio. Primeiro, a digitalização levou as cassetes e os leitores de cassetes; depois, os discos e os gira-discos; de seguida, os CD e os leitores de CD e, finalmente, o papel. Alguns estúdios são tão asséticos, que mais parecem laboratórios ou salas de operação. O estúdio, que me acompanhou nos últimos meses, tem as maquinetas necessárias, meia dúzia de discos, mas, sobretudo, tem papel impresso. O papel é muito útil. Ajuda os ouvidos de quem ouve (melhora a acústica) e aquece o coração de quem fala (o meu, está visto). Agora, chega a hora de me despedir deste estúdio e regressar a um estúdio mais convencional. Desses, a fugir para o moderno.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Adeus, Jorge Sampaio

por Miguel Bastos, em 10.09.21

sampaio.jpg

"Gosto e reivindico a capacidade de me comover". Jorge Sampaio rejeitava, assim, a imagem que lhe colocavam do político palavroso, intelectual, frio e distante. A culpa, dizia o próprio, era da cor do cabelo, que não disfarçava a ascendência britânica. Jorge Sampaio teria características dessa herança familiar: metódico, polido, educado, disciplinado, assertivo. Mas era também latino: afetuoso, sentimental, empático, solidário. Esta manhã, na Antena 1, uma antiga assessora referia que o (então) Presidente da República avisava sempre: não lhe pedissem para ser algo que ele não era; nem para dizer coisas que ele não sentia, nem concordava. O que, em política, não costuma dar bons resultados: nem eleitorais, nem de popularidade. Quando José Sócrates chegou à liderança do PS, Mário Soares chamou-lhe o "anti-Guterres". Jorge Sampaio terá sido o "anti-Soares". Não tinha as características que todos os políticos "têm" de ter: porque não queria ter, nem fingir que as tinha. Colocou-se, como era, à disposição do escrutínio e do sufrágio públicos. Prontificou-se a perder - se fosse necessário. Por vezes, perdeu. E, desse modo, a democracia ganhou sempre. Adeus.

Autoria e outros dados (tags, etc)

O Sr. Rádio

por Miguel Bastos, em 30.08.21

macedo.jpg

Coisa rara: a rádio, nas páginas do jornal. O sr. Macedo, no Público, a falar da rádio - do direto e das diretas. Foi a ouvir rádio (Manuel Alegre, na Rádio Portugal Livre), que o jovem António descobriu a política. Antes, também a ouvir rádio, já tinha decidido o que queria ser quando fosse grande. O que foi (e é): um grande homem da rádio.

Autoria e outros dados (tags, etc)


Mais sobre mim

foto do autor


Calendário

Janeiro 2022

D S T Q Q S S
1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031

Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2018
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2017
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2016
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2015
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D