Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Bach

por Miguel Bastos, em 23.01.24

bach in brazil.jpg 

- Estavas a falar de um disco chamado "Bach in Brazil"...
- Sim...
- Isso não existe, pois não?
- Existe, pois, tenho o disco e tudo!
- "Bach in Brazil"?! Qualquer dia, fazem um "Bach in Africa"!
- Já fizeram. E um "Mozart in Egypt"... Há de tudo...
- Como na farmácia?
- Não. Infelizmente, na farmácia não há música.

Bach in Brazil, aqui:
 
https://www.youtube.com/watch?v=DXLgKsaYVEc&list=PLwpEdJ-VJW-tQr5SjBpXHToLQQ4wgMEhz
 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tár

por Miguel Bastos, em 24.02.23

Estou a ouvir a 5.ª Sinfonia de Mahler e a pensar nas mãos e nos braços de Tár; no rosto e nos olhos de Tár. E na voz, no discurso, na inteligência e no brilhantismo. E, ainda, na disciplina, no rigor e na assertividade implacável da personagem interpretada por Cate Blanchett. Depois de ter saído do cinema, senti-me preenchido e atordoado. Poucos dias passados, tenho a certeza de que o filme "Tár" vai-me acompanhar, nos próximos anos. Do mesmo modo que "Amadeus", de Miloš Forman: quando ouço o "Confutatis", do Requiem de Mozart, vejo Mozart a desenhar melodias no ar e a ditar as notas a Salieri, enquanto morre. Do mesmo modo que "Brassed off" / "Os Virtuosos", de Mark Herman: quando ouço o "Adagio", do Concerto de Aranjuez, de Rodrigo, vejo a nobreza, a paixão e o desespero da banda filarmónica, na sua luta pelo direito ao trabalho e a uma vida digna.
"Pensem na 'Morte em Veneza'", pede Tár, aos músicos que ensaiam o "Adagietto", da 5.ª Sinfonia de Mahler. A música faz parte do filme de Visconti. De resto, "Tár" está cheio de referências: a maestros, a músicos, a compositores, a outras artes - o que pode fazer com que os espetadores se sintam esmagados e excluídos. Mas, essa sensação faz parte da experiência que muitos sentem: ao entrarem numa grande sala de concertos, ao contactarem com os rituais da orquestra, ao enfrentarem uma sinfonia com uma duração superior a uma hora. Esta é uma música poderosa, mas é, também, uma música muito ligada aos círculos do poder e Tár não hesita em exercer o poder, de forma quase absoluta. Tár não sabe, no entanto, que o poder que exerce, pode estar a ser questionado, minado e, até, sabotado. Ou sabe?
São poucos os filmes onde sinto que a música é bem tratada. Não é o caso deste. Sinto, até, que, em nome desse rigor, a narrativa do filme possa, aqui e ali, ter sido sacrificada. Nesse sentido, "Tár" pode, até, não chegar a ser considerado uma obra-prima (o tempo o dirá), mas é, seguramente, um filme monumental. Mais de uma hora depois, a Sinfonia n.º 5, de Mahler, recomeça na minha aparelhagem: ouve-se o som do trompete e eu regresso mentalmente, à imagem de Tár, a maestrina implacável, a entrar em palco... 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Surdos

por Miguel Bastos, em 11.11.22

beethoven.jpeg

- Posso-te contar uma anedota?
- Claro, filho!
- Foi o meu professor de música que ma contou.
- Força!
- O Mozart, estava a dar um concerto num estádio e pergunta:
"Querem ouvir a minha nova sinfoooiiiiaaa?"
"...."
"Mais altooooo!"
"...."
"Não ouço nadaaaa!"
- Aaah...
- Percebeste, pai?
- Mais ou menos. Não seria o Beethoven?
- Como?
- O Beethoven é que ficou surdo.
- O Mozart ou o Beethoven...
- Convém que não confundas, senão ainda chumbas...
- Achas?!
- ... e, depois, ficas surdo.
- Como o Beethoven?
- Exato, uma das causas da surdez pode ter sido o excesso de chumbo.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Anitta de blue jeans

por Miguel Bastos, em 28.06.22

anitta.jpg

Só conheço a Anitta dos discos do Marco Paulo. Foi aí que aprendi que a Anitta "é linda de blue jeans" e pouco mais. Mas a Anitta foi tema de conversa ("viste?" - "não, não vi"), e comentários ("que espetáculo!" - "a sério?"; "que horror!" - "não posso!"). E, até, de ensaios elaborados (análises feministas sobre emancipação e empoderamento; análises marxistas sobre luta de classe e a afirmação dos mais pobres). Li algumas coisas com curiosidade, interesse e até divertimento. Só que os divertimentos vinham, sobretudo, de Mozart - que teimou em não sair dos meus auscultadores (tenho um fraquinho pelo 136).
De modo que, se hoje quiserem tecer comentários (mais epidérmicos) ou elaborarensaios (mais aprofundados) sobre a obra de Mozart, terei todo o prazer em lê-los atentamente. E, até, de os acompanhar com uma escuta, atenta, da música de Anitta. Assim, fazia o pleno. [Fotografia: Miguel A. Lopes/EPA/EFE]

Autoria e outros dados (tags, etc)

Linda, linda, esta balada...

por Miguel Bastos, em 02.02.22

balada sophie.jpg

O que faz uma jovem jornalista, à porta de um velho pianista? Procura uma boa história, certamente. A história de um velho, que vive encerrado numa mansão. Encerrado numa cabeça, povoada de memórias: alegóricas, difusas, dolorosas. O velho teve uma carreira de sucesso. Mas, para ele, esse sucesso foi sempre plástico, amargo, repugnante. Filipe Melo e Juan Cavia contam-nos a história de um músico e da sua obsessão por outro músico, mais talentoso, a quem terá roubado várias coisas (lembra a relação entre Salieri e Mozart, no "Amadeus" de Peter Shaffer / Miloš Forman). Depois, percebemos melhor a sua história de amor (e desamor) pela música. E, finalmente, percebermos que esta é, afinal, uma história de Amor - em sentido (ainda mais) lato e profundo. É "Linda, linda", esta "Balada para Sophie".

Autoria e outros dados (tags, etc)

Jovens, copos e mulheres

por Miguel Bastos, em 13.04.21

Os jovens músicos desperdiçam tempo e talento. Podiam estudar e ser disciplinados. Em vez disso, perdem-se em copos, festas, roupas, mulheres e cançonetas de 4/5 minutos. E depois morrem cedo, vítimas do seu excesso, esquecidos e sem glória. Mozart, por exemplo: só pensava em divertimentos. Enfim...

Autoria e outros dados (tags, etc)

Resolução de Ano Novo

por Miguel Bastos, em 03.01.21

Para evitar hipertensão e obesidade, decidi cortar no Salieri. Compensarei com Mozart. Bom ano.

Autoria e outros dados (tags, etc)


Mais sobre mim

foto do autor


Calendário

Julho 2024

D S T Q Q S S
123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031

Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Arquivo

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2023
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2022
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2021
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2020
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2019
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2018
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2017
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2016
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2015
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D