Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Doutores e engenheiros

por Miguel Bastos, em 23.06.23

bata.jpeg 

- Sabes, os meus alunos...
- Sim...
- ... como é que eu hei de dizer? Não é que não sejam inteligentes..
- Mas, são maus alunos?
- Não, mas são desinteressados.
- Não estudam?
- Estudam e acabam por tirar boas notas. Mas são...
- Mas são...?
- Não há aqui médicos, pois não?
- Não.
- São médicos. É o melhor que eu posso dizer.
- Então, mas os médicos não são muito inteligentes? São bons alunos, as médias são altíssimas...
- Pois, (lá está) e eles estudam, marram aquilo tudo... mas falta-lhes tanta coisa.
- Por exemplo...
- Falta-lhes ciência: física, química, biologia...
- Ah...
- E falta-lhes mundo, pensamento abstrato, falta-lhes filosofia...
- A sério?
- E, a mim, falta-me paciência. E saúde, que não vou para nova. E tenho muitos amigos médicos. Por isso, convém que não me exceda nas considerações.
 
Riu-se, a minha amiga, com o seu riso desconcertante. Rimo-nos todos. Penso nesta conversa, de cada vez que ouço discursos arrogantes, de quem acha que sabe tudo. De médicos, sim, mas de outras profissões que beneficiam de um estatuto social, que outras não têm. E porque há sempre alguém que sabe mais do que nós e que sabe mais do que aqueles que acham que sabem muito. Porque, no fundo, ninguém sabe muito de tudo. Quando muito, uns sabem muito de umas coisas e outros sabem muito de outras coisas. Se percebêssemos isso, talvez passássemos, todos, a saber mais, sobre várias coisas.

Autoria e outros dados (tags, etc)

A confiança

por Miguel Bastos, em 07.12.21

tedros.jpg

A pandemia aumentou a confiança dos portugueses na ciência e nos profissionais de saúde, refere um estudo da Universidade do Porto, que indica que a população passou a confiar menos nos políticos e nos jornalistas. Espero não ser corporativista, mas fui ver os alinhamentos dos noticiários que referiam o estudo. Eis alguns exemplos:
 
- o governo português garante que está tudo a postos para vacinar os menores
 
- o segundo voo de repatriamento de portugueses, vindo de Moçambique, chegou a Lisboa
 
- a vacinação obrigatória está em discussão, em vários países
 
Claro que podemos (e devemos) discutir as medidas de combate à pandemia, a sua aplicação e fiscalização ou o tempo de decisão. Mas temo que a generalidade das pessoas tenha ficado com a ideia que "os políticos" andam a discutir as vacinas e os confinamentos, enquanto os médicos andam a trabalhar, o que, manifestamente não é verdade. Não são os médicos que compram vacinas, que abrem centros de vacinação, que fecham escolas. Já têm trabalho que chegue.
 
Evidentemente, há muitos casos em que os políticos falham. A nova variante, por exemplo, veio por a nu uma evidência: África continua arredada do processo de vacinação e, enquanto for assim, não será possível controlar a pandemia. E quem é que denúncia isto? Os médicos e cientistas, mas, também, as Nações Unidas, dos... políticos.
 
E, já agora, como é que isto tudo se sabe? Parece que os jornalistas disseram qualquer coisa sobre o assunto. Os mesmos jornalistas que perdem a confiança das pessoas, por causa de fenómenos como a "desinformação" e as chamadas "'fake news'", que são o oposto do jornalismo.
 
O mundo está confuso e as pessoas têm todo o direito de andarem atentas e desconfiadas. Mas, gritar por gritar, disparar em todas as direções ou deitar tudo para o mesmo caixote do lixo, só vai piorar as coisas.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Intensivos

por Miguel Bastos, em 04.02.21

intensivos.jpg

A jornalista Rita Colaço avisou-nos que a reportagem tinha sons que podiam impressionar (e impressionam, de facto). Mas, o meu maior receio não eram os sons. Era a respiração. A minha. Tinha medo de não conseguir respirar, porque sei bem o que isso é. E a minha respiração alterou-se, de imediato, com uma das primeiras palavras que ouvi na reportagem: "propofol". Cheguei, em desespero, a pedir propofol numa unidade de cuidados intensivos. Conheço o som dos ventiladores, invasivos e não invasivos, e das várias máquinas. Reconheço as vozes dos profissionais de saúde: o cansaço, a esperança, o profissionalismo, a humanidade. Está tudo nesta reportagem. Ao longo da reportagem, a minha respiração foi, no entanto, regressando ao normal. A Rita tem a capacidade de nos mostrar a realidade, com sobriedade, sem a exacerbar. Mas a abordagem é intensa. É intensiva.

Para ouvir, pode clicar na imagem ou aqui:

https://www.rtp.pt/noticias/pais/grande-reportagem-antena1-intensivos_a1294513

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Confinamento

por Miguel Bastos, em 15.01.21

casa.jpg

Ficar em casa. Cada um na sua.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Vacina

por Miguel Bastos, em 16.12.20

injecao.jpg

"Inoculação". Já se estão a afeiçoar à palavra? Eu reconheço que "pica" é uma designação muito infantil. Mas, "injeção" não serve? "Vacina" não é suficiente? Eu não sei como é que é convosco, mas, pessoalmente, a palavra "inoculação" tira-me a pica toda.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Medicina inglesa

por Miguel Bastos, em 05.09.20

boris.jpg

O jornal Sol está a avançar que o novo curso de medicina da Católica vai ser ministrado em inglês. Parece-me bem, até porque os ingleses precisam muito que os profissionais de saúde portugueses falem inglês. Lembram-se do agradecimento de Boris Johnson ao enfermeiro "Luís, from Portugal"? Essas coisas nunca se esquecem. Mas, já agora, convém recordar que os ingleses não são lá muito católicos.

Autoria e outros dados (tags, etc)


Mais sobre mim

foto do autor


Calendário

Maio 2024

D S T Q Q S S
1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031

Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Arquivo

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2023
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2022
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2021
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2020
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2019
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2018
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2017
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2016
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2015
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D