Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Uma vacina

por Miguel Bastos, em 14.04.21

vacina.jpg

- Temos de almoçar depressa.
- Porquê?
- Porque o mano tem de ir tomar uma vacina.
- O quê, já?!
- Como assim?
- Pensei que o mano fosse dos últimos!
- É uma vacina que estava em atraso. Espera lá, não é a vacina que está a pensar!
- Ai, não?!
- Não. Sabes, há mais doenças e há mais vacinas. Não é só a da Covid.
- A sério? Não sabia.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Sem legendas

por Miguel Bastos, em 07.04.21

Mais velho - Acho que não gostei muito do filme.
Mais novo - Eu gostei.
Mais velho - Achei um bocado esquisito.
Mais novo - Porquê?
Mais velho - Não sei. Talvez porque, como não tinha diálogos...
Mais novo - Por isso é que eu gostei...
Mais velho - acabei por não perceber muito bem a história.
Mais novo - não tinha aquelas coisas em baixo para ler.
Mais velho - Hã?
Mais novo - Ai, credo, sou tão engraçado!

Autoria e outros dados (tags, etc)

O melhor pai

por Miguel Bastos, em 19.03.21
Algumas considerações sobre as fotografias dos vossos pais na internet:

1 - O amor é lindo. Muito lindo, mesmo.

2 - Os vossos pais são lindos, mesmo que sejam um bocadinho menos do que vocês pensam.

3 - A moda é tramada e não poupa ninguém. Nem mesmo o melhor pai do mundo.

4 - Já agora, peço desculpa, mas o melhor pai é o meu. Pensei que sabiam isso.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Novas tecnologias

por Miguel Bastos, em 16.03.21

Filho - Sabes, pai, hoje um menino pôs-se debaixo da mesa e começou a chamar "Ó professora, professora, está-me a ver?" E a professora: "Não". E ele: "Oh, devo estar com problemas na câmara!"

Pai - A sério?

Filho - Sim. E, depois, uma menina começou a fazer sinais e a professora perguntou-lhe "O que é?" e ela começou a apontar para a folha. Sabes o que é que ela tinha escrito?

Pai - Não.

Filho - Dizia "Professora, fiquei sem microfone".

Com humor, as crianças estão a aprender a lidar com as novas tecnologias. Chamam-se aulas presenciais.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Na cozinha

por Miguel Bastos, em 12.03.21

duran duran.jpg

O som inicial dos trompetes anuncia uma jornada épica. Escolho os legumes e as facas e coloco a tábua de cortar na bancada. Descasco e corto nabos e chuchus, alhos e aipo. No final do primeiro andamento, a água com sal já ferve com os legumes. Lavo, escolho e escorro os espinafres. Sinto o drama a crescer. Pico alhos, coloco-os em lume brando com azeite, escorro o atum e junto-o aos alhos. Escolho tomates maduros e corto-os em cubos pequenos, enquanto cresce a tensão entre as cordas e os sopros. Os tomates caem no tacho em conjunto com as azeitonas e as alcaparras. No terceiro andamento, danço, com copos, pratos e talheres, digo a “vida é linda”, mas dói-me a alma por ter que abafar as cordas com o som da varinha mágica. Coloco a rúcula e os agriões na saladeira, vêm-me as lágrimas aos olhos: não sei se é do “Adagietto” se é da cebola. Preparo o “Finale”, ponho a mesa e sirvo a sopa. A cavalaria chega a passos largos. Fim. Estou exausto. Ponho um disco dos Duran Duran, para descomprimir. Cá em casa, acham que eu vou de Mahler a pior.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Conto de fadas

por Miguel Bastos, em 05.03.21

Em 1992, David Sylvian era um nome incontornável da música pop. Nesse ano, entrou do disco "Heartbeat", do amigo japonês Ryuichi Sakamoto. Durante a gravação, conheceu uma morena linda de morrer. Apaixonaram-se e, mais tarde, casaram-se e tiveram filhos. Enfim, um conto de fadas. Tirando a estrela pop e o chinocas, parece a história da minha vida.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Meter dó

por Miguel Bastos, em 26.02.21
Ontem, espreitei uma aula "online" do meu filho. Sinceramente, aquilo meteu dó.

O meu filho explicou-me, depois, que era normal. Era uma aula de música.

"Mesmo assim," - digo eu, tentando parecer inteligente - "podia ser melhor!"

Autoria e outros dados (tags, etc)

Às vezes o amor

por Miguel Bastos, em 02.02.21

(Ouvimos Godinho, à hora de dormir)
- Esta música pareces tu a brincar com o mano, diz o mais velho.
- Porquê?, pergunto eu.
- Repara na letra: "Se morreres só te peço/Da morte volta sempre em vida".
- E...?
- Parecem as vossas brincadeiras, quando o mano te quer matar e tu começas a impor condições.
É verdade, costumo negociar as condições da minha morte com o mais novo. Eis alguns exemplos:
- Pai, vou-te matar!
- Ok, filho, mas mata-me ao pé do sofá, para eu cair com algum conforto.
Ou:
- Pai, vou-te dar um tiro.
- Certo, mas aqui está muita gente. Mata-me num local onde eu tenha mais privacidade.
Ou, ainda:
- Oh não, pai, acho que vou morrer!
- Tudo bem, filho, podes morrer. Mas, não te esqueças que o jantar é às oito. Se te atrasares, a mãe fica preocupada.
Eu e os meus filhos morremos muito, mas sempre com responsabilidade. Deve ser o amor, "Às vezes o amor".

Autoria e outros dados (tags, etc)

Acepipes

por Miguel Bastos, em 21.01.21
Pai: E, então, correu bem a escola?

Filho: Correu.

Pai: O que é que deram hoje?

Filho: Várias coisas.

Pai: Por exemplo...

Filho: Acepipes variados.

Pai: Como assim?

Filho: Uma coisinha daqui, uma coisinha dali...

Autoria e outros dados (tags, etc)


Mais sobre mim

foto do autor


Calendário

Abril 2021

D S T Q Q S S
123
45678910
11121314151617
18192021222324
252627282930

Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D