Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Inculta

por Miguel Bastos, em 02.10.23

IMG_0256.jpg 

Esta entrevista de Joana Marques, ao Expresso, anda na minha cabeça, há uma semana. Na capa da Revista, lê-se que Joana vem de uma família de intelectuais. Não é a primeira, nem será a última. Muitas figuras, com destaque no espaço público nacional, vêm de famílias de intelectuais. Geralmente são, também elas, intelectuais. E há, também, muitos casos de intelectuais que vêm de famílias de operários, agricultores ou comerciantes. É o resultado de uma longa aposta na educação, que tem contribuído para aquilo que, geralmente, se designa como "mobilidade social". Uma mobilidade "para cima", que Joana Marques terá colocado em causa. Em casa, a mãe de Joana dedicava-se às traduções, o pai à história, o irmão à filosofia. Joana dedicava-se a ver programas de Teresa Guilherme. Ainda é assim. O pai (João Pedro Marques) escreve "romances históricos, e grandes" que ela não lê "e ele sabe". E eles, em casa, não percebem bem quem são as pessoas, em causa, que ocupam os programas de Joana. É certo que, a dada altura, Joana confessa que "gostava de" se sentir "um bocadinho menos inculta"; mas, logo a seguir, confessa que não gostou muito de andar na universidade porque "parecia que estava em casa!". Não haverá muitos casos assim, em Portugal. Mas creio que se irão tornar, cada vez mais, comuns. Poderíamos pensar que é uma tragédia, mas é comédia.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Fazer bolos

por Miguel Bastos, em 14.06.23

bolo.jpg 

A vida dos artistas nunca foi fácil. Continua a não ser.
Mesmo para os artistas mais conhecidos.
A Joana, por exemplo, tem de fazer bolos para fora.
 
Notícia na imagem ou aqui:
 
https://expresso.pt/cultura/artes_plasticas/2023-06-07-Joana-Vasconcelos-monta-Bolo-de-Noiva-em-Inglaterra-e-junta-a-pastelaria-e-a-arquitetura-numa-escultura-abencoada-por-Santo-Antonio-06fa3f72

Autoria e outros dados (tags, etc)

Adeus, Hernâni Santos

por Miguel Bastos, em 14.01.23

hernani santos.jpg

- Estou a falar com o Miguel Bastos?
Ainda demorei um ou dois segundos a pensar de quem seria aquela voz da BBC, com um domínio perfeito da língua portuguesa: "Hernâni Santos?!"
- Fala Hernâni Santos, o seu formador...
- Não precisa de dizer quem é - atalhei - essa voz é inconfundível.
- Estou-lhe a ligar, porque estão a precisar de jornalistas para a Antena 1 e eu lembrei-me de si.
Não consegui esconder a minha excitação e lá fui eu a uma espécie de conversa que, afinal, não era uma entrevista de emprego. De modo que, sem emprego, resolvi fazer um conjunto de pequenas coisas: telefonei ao Hernâni Santos, voltei para a minha cidade, arranjei uma casa e um trabalho e casei-me. Poucos meses depois, o senhor jornalista - com voz de BBC e língua de Camões - voltou-me a ligar.
- Miguel Bastos?
- Bom dia, Hernâni Santos! Como está?
- Estou bem, obrigado. Já está a trabalhar?
- Sim, felizmente.
- Então, se calhar, já não tem interesse.
- Diga, diga...
- Sabe, voltaram-me a ligar da Antena 1. Parece que, desta vez, é a sério. Está interessado?
- Estou sempre interessado.
- Posso indicar o seu nome?
- Claro que sim. E obrigado por se lembrar de mim.
- Ora essa! Nunca me esqueço dos meus alunos.
- Ainda bem, mas ao fim deste tempo todo...
Ao fim deste tempo todo, estou na rádio. Continuo a estar. Com uma enorme gratidão a um senhor alto, forte, de postura militar e mau feitio. Mas, também, exemplar, rigoroso, solidário, atento, astuto. Hernâni Santos, um mestre - com voz de BBC e língua de Camões. Obrigado. Muito obrigado!
 
https://www.rtp.pt/noticias/pais/morreu-o-jornalista-hernani-santos_v1460048

Autoria e outros dados (tags, etc)

O mundo: dentro e fora

por Miguel Bastos, em 15.01.22
 
 20220115_100534.jpg

 

"(...) os homens não falam entre si. Nas famílias, as palavras estão entregues às mulheres. Os homens gerem silêncios, aqui e ali entrecortados." Apanho a frase, na revista do Expresso. É da semana passada. Já devia, portanto, ter ido para o lixo. Mas não foi. Demora-se sempre mais tempo do que é suposto: na secretária, na prateleira, ao lado da cama. A revista ficou, ali, aberta: pronta para ser lida. Às vezes, não chega a ser. Os jornais dão-nos mais, muito mais, do que conseguimos ler. São um caleidoscópio do mundo, que esperamos ordenar. Mas acabam, eles próprios, espalhados e desordenados: pela casa; pelo mundo.
A frase inicial é de Davide Enia - um escritor italiano, da Sicília, que desconheço e que não sei "se e quando" vou conhecer. Perguntaram-lhe se escrevia sobre os naufrágios de Lampedusa. Respondeu que tinha escrito o livro ("Notas de um naufrágio") para salvar a relação com o seu pai. É, os jornais dão-nos o mundo: por fora e por dentro.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Expresso

por Miguel Bastos, em 07.01.22

expresso.jpg

Ler o jornal devia ser isso mesmo: ler o jornal. Um ato banal, corriqueiro, quotidiano. Será, ainda, um direito e um dever. Mas, hoje, ler o jornal - este, em particular - pode ser, também, um ato de solidariedade e luta. Que não se esgote no dia de hoje.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Jornais

por Miguel Bastos, em 13.07.21

balao.jpg

- Pai, tens jornais que me arranjes?
- Para quê?
- Para fazer um trabalho.
- Podes usar o Expresso da semana passada.
- Queres ver o que eu estou a fazer?
- Mostra lá.
- E obrigado pelos jornais. Já ninguém lê jornais, pois não?
- Algumas pessoas ainda leem, mas são poucas.
- Isso é um bocado triste, não é?
- É, porque, depois, os filhos não fazem artes plásticas.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Partilhar

por Miguel Bastos, em 25.06.21

expresso.jpg

Sempre incentivei os meus filhos a partilharem: livros, brinquedos, comida. Nunca gostei do "isso é meu", nem do "não mexas nisso, não é teu". Claro que a pandemia veio suspender o espírito de partilha. Ou, vai daí...

Autoria e outros dados (tags, etc)

Eu e o Salazar

por Miguel Bastos, em 08.06.20

salazar saraiva.jpg

O novo livro de José António Saraiva chama-se "Salazar - A Queda de Uma Cadeira que Não Existia". Confesso, estou desiludido: depois de "Eu e os Políticos" e de "Eu e os outros" tinha a expectativa (mais do que legítima!) de que um livro de José António Saraiva sobre Salazar se chamasse "Eu e o Salazar". Não foi, no entanto, a escolha do antigo diretor do Expresso e do Sol. Fica a minha sugestão. Já que se propõe a desmistificar a queda de Salazar de uma cadeira, durante as férias deste no Forte de S. António do Estoril, José António Saraiva poderia chamar ao livro "As minhas férias com Salazar". É um título muito original e mais próximo do universo do autor. 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Arrumar as botas

por Miguel Bastos, em 30.05.19

jeronimo.jpg

“Estou longe de arrumar as botas”, diz Jerónimo de Sousa, à SIC. Não sei como é que Jerónimo é com sapatos e sapatilhas. Mas, se fosse mais novo, poderia ser meu filho.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Um arquiteto que é pessoa

por Miguel Bastos, em 28.12.17

aires mateus premio pessoa.jpg

O arquiteto Manuel Aires Mateus foi distinguido com o Prémio Pessoa 2017. A entrevista, deste fim de semana, no Expresso, é uma delícia. Gosto da forma como fala da sua família (o avô, os pais): entre o pragmatismo e o espírito artistico; entre o salazarismo e a extrema-esquerda. Da forma como fala do seu irmão Francisco, que também é arquiteto, mas possuidor de vários talentos. É impossível separar a sua vida, da sua arquitetura ligada à terra: tem muita obra no estrangeiro, mas a sua obra, diz o arquiteto, é sempre "daqui".

 

E a sua vida também é aqui. "O que é que verdadeiramente lhe interessa na vida?", pergunta-lhe o jornalista Valdemar Cruz. "A vida", responde, "Adoro viver". E acrescenta: "Mas sou uma pessoa de uma banalidade extrema. Cresci, estudei, casei aqui, tive os meus filhos aqui." Num país mediano, onde todos querem ser excecionais, há um arquiteto, que é dos melhores do mundo, que diz "Adoro tudo aquilo que as pessoas adoram, mas ao mesmo tempo adoro sentar-me aqui e ficar aqui a pensar".      

Autoria e outros dados (tags, etc)


Mais sobre mim

foto do autor


Calendário

Fevereiro 2024

D S T Q Q S S
123
45678910
11121314151617
18192021222324
2526272829

Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Arquivo

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2023
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2022
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2021
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2020
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2019
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2018
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2017
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2016
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2015
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D