Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Cartas de amor

por Miguel Bastos, em 02.06.19

marco paulo.jpg

Amanhã, Donald Trump chega ao Reino Unido. Mas, já enviou cartas de amor a Boris Johnson, que daria um “excelente” líder do Partido Conservador; e a Nigel Farage, que é a pessoa ideal para negociar o Brexit. No fundo, Trump tem dois amores, como na canção de Marco Paulo. Mas, se Johnson e Farage são parecidos, Marco e Donald em nada são iguais: um é um cantor popular, o outro é um senhor populista.

Autoria e outros dados (tags, etc)

A minha vida dava um filme

por Miguel Bastos, em 07.09.18

luis_costa_ribas.png

Chamou-lhe “Uma vida em Direto", mas podia ter-lhe chamado “A minha vida dava um filme". Com quase 40 anos de jornalismo, Luís Costa Ribas escreveu um livro sobre as suas aventuras no jornalismo. A partir da sua base nos Estados Unidos, esteve sempre onde devia. Lá, de onde todos saiam: fosse em Angola, em Moçambique, no Haiti ou em Israel.
 
O livro ajuda a perceber a mudança da política americana relativamente a Angola ou a Timor. As virtudes e defeitos dos Estados Unidos. As mudanças políticas internas que conduziram à eleição de Donald Trump e ao actual estado do mundo.
 
Na ânsia de querer resumir um vida cheia e, eventualmente, a não querer maçar os leitores, alguns “episódios” (como o autor lhes chama) são, apenas, enunciados. Fica um sabor a pouco. Mas percebe-se. Pensando bem, a vida de Luís não dava só um filme. Dava uma série, com várias temporadas e “episódios”. Daquelas que nos agarram que nos colam ao sofá, semanas a fio, mas que nos impedem de ler livros como este.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Nova guerra

por Miguel Bastos, em 01.06.18

trump.jpg

Donald gosta de uma boa guerra. A nova guerra é com a velha Europa. Há quem o ache enferrujado. Mas, o Donald está "como o aço".

Autoria e outros dados (tags, etc)

Irão

por Miguel Bastos, em 09.05.18

 

trump irao.jpg

... nós iremos/ vós ireis/ eles Irão. Eu sei que o problema é geopolítico. Mas é bom consultar a gramática. Para perceber se o sujeito está bem conjugado com o verbo de ação. E o que nos reserva o futuro.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Posta restante

por Miguel Bastos, em 15.02.18

postal.jpg

O novo filme de Spielberg, "The Post", passa-se na era Nixon. Mas, é inevitável vê-lo como uma reacção à era Trump. Não é, no entanto, um filme dos bons contra os maus. É melhor que isso. A história anda à volta de uma investigação, governamental, sobre o Vietname. Fica-se a saber que, afinal, a guerra do Vietname era uma história mal contada. Aliás, era uma história não contada. Porquê? Porque os presidentes anteriores (Kennedy e Johnson) eram do grupo dos bons. O grupo que os jornais gostavam. Com quem tinham cumplicidade. Eram farinha do mesmo saco. Um saco onde estava, desde logo, o Washington Post.

 

Os protagonistas são a dona do jornal (Meryl Streep) e o diretor (Tom Hanks). São eles que vão ter que colocar em causa a sobrevivência do jornal, em nome da liberdade da imprensa. Mas, tão ou mais importante, vão ter que se colocar em causa.   

 

Nesse sentido, "The Post" é um filme sobre a perda da ingenuidade. Um postal de uma época e do que restou dela.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Oprah

por Miguel Bastos, em 08.01.18

opera.jpg

Oprah poderá ser candidata à Casa Branca. Em 2020, a escolha será entre o talk show e o reality show. Vai-se votar com o comando. 

Autoria e outros dados (tags, etc)

No estrangeiro

por Miguel Bastos, em 08.01.18

directions.jpg

O estrangeiro, dizia alguém, é o país onde todos gostariam de viver. "No estrangeiro", dizem uns, "paga-se menos impostos". Talvez, se esse país for os Estados Unidos. "No estrangeiro", dizem outros, "temos melhores hospitais". Talvez, na Suécia. "No estrangeiro", acrescentam outros ainda, "as mães podem ficar com as crianças, em casa, até aos três anos". É verdade, na Alemanha. É verdade, e pode ser bom. Para quem gosta. A ex-ministra Constança Urbano de Sousa, descobriu, por experiência própria, que na Alemanha não havia creches. E não gostou. Está na entrevista da Notícias Magazine, deste fim de semana.

 

Na Alemanha (esse país estrangeiro e avançado!), a maioria das mulheres casadas deixa de trabalhar quando engravida. Como em Portugal, nos anos 40. O reverso de estar em casa com filhos, nos primeiros 3 anos, é não ter creches, nem carreira profissional. Nos Estados Unidos, os impostos são baixos, mas a qualidade da saúde pública também. E se a Suécia tem saúde, na hora de pagar impostos os suecos têm todas as razões para ficarem doentes.

 

Essa é a vantagem do estrangeiro. Podemos escolher o estrangeiro que quisermos, de acordo com as conveniências de cada momento. Só há um problema: o estrangeiro não existe. Mas, é melhor.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Rambo de fora

por Miguel Bastos, em 26.07.17

trump rambo.jpg

Afinal, o que é um herói? Depende do lado da barricada. Xanana Gusmão, por exemplo: era um terrorista, para o regime indonésio; e um herói, para os timorenses. Nelson Mandela: era um líder subversivo, para o governo branco da África do Sul; e um herói, para o mundo inteiro. Mas, para o homem que quer construir um muro entre o México e os Estados Unidos, não há barricadas. John McCain é um herói de guerra, para os americanos; mas não era um herói, para Donald Trump. Porque se fosse, defendeu Trump, não tinha sido preso pelos vietnamitas. Trump é assim: vê o mundo pelos olhos de Hollywood. Herói é o Rambo.

 

Só que, entretanto, Trump mudou de opinião e, agora, diz que McCain é um "herói americano". Porquê? Porque o senador, que foi candidato republicano contra Obama, votou a favor do fim do Obamacare. O actual presidente ​quer acabar com o sistema de saúde, criado por Barak Obama. E quer criar um novo, que ainda não se sabe o que é, mas que será "espetacular", nas palavras de Trump. Só que as palavras de Trump são voláteis, como se vê no caso de McCain. Alguém que arrisca a vida numa guerra, em nome do seu país, não é um herói. Herói é quem vota Trump. Herói é quem lhe der jeito. Herói é ele próprio. 

 

No fundo, Donald Trump, é isto: um herói com o Rambo de fora.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Paris

por Miguel Bastos, em 02.06.17

1460961831349.jpg

 We'll Always Have Paris. Entre o Casablanca e a Casa Branca há mais do que a troca de uma consoante.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Diretor do FBI?

por Miguel Bastos, em 31.05.17

Pergunta o DN: "Quem quer ser diretor do FBI?" Estranhei. Então, o concurso não era "Quem quer ser milionário"? Mas, depois, pensei: o cargo de milionário já está ocupado...

http://www.dn.pt/mundo/interior/trump-prossegue-busca-novo-diretor-fbi-com-mais-entrevistados-apos-varias-negas-8519957.html

Autoria e outros dados (tags, etc)


Mais sobre mim

foto do autor


Calendário

Julho 2019

D S T Q Q S S
123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031

Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D