Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Afeganistão para crianças

por Miguel Bastos, em 31.08.21

cabul atentado.jpg

Filho - Pai, podes-me explicar o que é que está a acontecer no Afeganistão?

Pai - Bem, os americanos e os europeus estão a abandonar o país, que volta a ser governado pelos talibãs...
Filho- Que são os maus, certo?
Pai- Não é bem assim. Isto não é um filme do "Star Wars", com bons de um lado e maus do outro.
Filho- Não?
Pai- Não, é um bocadinho mais complexo.
Filho - Mas, os americanos não fizeram guerra aos talibãs?
Pai-Sim. Mas, agora, desistiram e os talibãs voltaram ao poder e...
Filho- E fizeram o atentado ao aeroporto.
Pai -Não, eles estavam a guardar o aeroporto, juntamente com os americanos.
Filho - Portanto, agora são bons...
Pai - Mais ou menos...
Filho - Então foram os outros terroristas, os do 11 de Setembro.
Pai-Também não. Parece que foram os do Estado Islâmico.
Filho - Ó pai, os americanos não foram para o Afeganistão para acabar com os terroristas?
Pai- Exato.
Filho- Os talibãs...
Pai - Não, os daAl-Qaeda.
Filho - Estes, os do aeroporto.
Pai - Não, este é outro grupo. É o Estado Islâmico, que apareceu depois da segunda invasão do Iraque.
Filho -Desculpa, pai, mas isto parece mesmo um filme do "Star Wars".
Pai - Tens razão, filho. Pensando bem, parece.
[Foto: Victor J. Blue - The New York Times]

Autoria e outros dados (tags, etc)

Afeganistão

por Miguel Bastos, em 13.08.21

afeganistao.jpg

Sabemos muito pouco sobre o Afeganistão. Um país devastado, há várias décadas. Uma espécie de aldeia gaulesa, que resistiu aos poderosos exércitos da União Soviética e dos Estados Unidos. Os talibã são, também, uma espécie de lusitanos, mas mais disciplinados: ou governam, ou não se deixam governar. Não é, no entanto, preciso perceber muito de Afeganistão, para perceber o que aí vem. Os talibã reconquistam o território, a grande velocidade, com a tomada militar de mais de uma dezena de capitais de província. Esta madrugada, caiu a segunda maior cidade do país: Kandahar. A capital, Cabul, está ameaçada. O governo tenta, ainda, salvar a pele, com acordos para a partilha do poder. Os soldados americanos estão de saída, mas, o governo enviou três mil soldados, para retirar o pessoal diplomático de Cabul. Outros países seguem o exemplo. As Nações Unidas pedem, aos países vizinhos, para abrirem as fronteiras. Mais de 3 milhões de refugiados já abandonaram o Afeganistão. Está tudo pronto para a desgraça. Estejamos prontos para as lágrimas de crocodilo.

[Foto: Reuters]

Autoria e outros dados (tags, etc)

Máscara

por Miguel Bastos, em 14.05.21

zorro.jpg

Nos Estados Unidos, o presidente Joe Biden anunciou que o uso da máscara deixa de ser obrigatório, para quem já tomou as duas doses da vacina contra a COVID-19.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Obama, mas não cai

por Miguel Bastos, em 09.02.21

obama.jpg

No livro "Uma terra prometida", Obama aborda a saída americana da crise. Apesar de, na altura, se ter saído bem, foi muito criticado por se ter voltado, rapidamente, à normalidade - sem ter aproveitado a crise para definir "um novo normal". Isso passava por identificar as causas da crise, criminalizar os responsáveis, definir novas regras, proteger os mais indefesos. Obama compreende as críticas e, de certa forma, partilha-as. Mas, defende que era urgente manter a ordem de pé, antes de a mudar. Porque, perante uma crise, quem sofre primeiro, e durante mais tempo, são os mais desprotegidos. A crise a que Obama se refere é a crise financeira de 2008, mas é impossível não pensar na crise atual. Durante o seu mandato, Obama foi criticado à esquerda e à direita; por democratas e republicanos; conservadores e progressistas. Porque fez demais, ou de menos; porque foi demasiado rápido, ou lento; demasiado conservador, ou liberal. Fica, no entanto, a convicção de que tentou, sempre, pesar os prós e os contras, em cada decisão. Barack é sólido. Obama, mas não cai.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Populismo faz parte

por Miguel Bastos, em 08.01.21

capitolio.jpg

"O populismo faz parte da democracia?", perguntou o jornalista António Jorge, esta manhã, na Antena 1. "Faz", respondeu António Costa Pinto, "A maioria das democracias não são derrubadas por golpes de estado e revoluções. São derrubadas a partir de dentro". E deu os exemplos recentes dos regimes autoritários e populistas da Polónia, da Hungria e da Turquia. O historiador e politólogo não teve dúvidas: a invasão do Capitólio não foi uma ação folclórica de um grupo de radicais de extrema-direita, foi organizada a partir da presidência. E isso, justificará a falta de reação das forças de segurança. Afinal, Trump ainda é presidente e, como tal, responsável máximo das forças armadas. Trump, como todos os líderes populistas, gosta de lei e ordem: mas só quando lhe convém. Já agora, uma coincidência trágico-cómica: a invasão do Capitólio decorreu no mesmo dia em que Marcelo Rebelo de Sousa e André Ventura debatiam as diferenças entre a direita social e a direita securitária.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Trompistas

por Miguel Bastos, em 09.11.20

trompas.jpg

Com a derrota nas eleições, toda a gente fala mal dos trompistas. Não concordo. São gente boa. Merecem ser ouvidos.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Night fever

por Miguel Bastos, em 08.11.20

António Costa fala à meia noite, Joe Biden à uma da manhã. Os discursos políticos são a nova Febre de Sábado à Noite. O divertimento possível, em tempos de pandemia.

Autoria e outros dados (tags, etc)

O grande capital

por Miguel Bastos, em 06.11.20

torre trump.jpg

Esta noite, fui para a cama banhado em lágrimas. Ouvi Donald Trump, a queixar-se, com razão, do grande capital. Esses milionários que não apoiam gente pobre, como ele, que qualquer dia não tem dinheiro para pagar as despesas - água, luz, gás - da sua pequena torre em Manhattan.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Autoproclamado

por Miguel Bastos, em 04.11.20

trump biden.jpg

Quem diria que iríamos ter o Autoproclamado Estado Americanico? Custa a dizer, eu sei. Mas, se tiver de ser, a gente habitua-se.

https://www.rtp.pt/noticias/mundo/trump-reivindica-vitoria-com-eleicao-em-aberto-o-filme-da-longa-noite-americana_e1271329

Autoria e outros dados (tags, etc)


Mais sobre mim

foto do autor


Calendário

Setembro 2021

D S T Q Q S S
1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930

Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D