Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Fotografias na escola

por Miguel Bastos, em 06.12.23

- Sabes, pai, hoje foi dia de tirar fotografias na escola.
- Ai sim?
- Sim, ficaram espetaculares.
- Mas, já as viste?
- Não, pai.
- Então, como é que sabes que ficaram espetaculares?
- Com uma carinha destas, como é que achas que ficaram?!

Autoria e outros dados (tags, etc)

Aula sobre democracia

por Miguel Bastos, em 24.04.23

cravos.jpg 

O presidente da República fez mais de 500 quilómetros para assinalar os quase 50 anos de democracia, em Portugal. Recorreu à sua vocação de professor e aos seus dotes de comunicador, para dar uma espécie de aula sobre democracia, num auditório repleto de jovens. O presidente foi recebido com grande entusiasmo. Os jovens bateram palmas e assobiaram, com a excitação reservada às celebridades. Depois, o presidente começou a falar e a juventude esmoreceu. Quando começou a distinguir a monarquia e a república, a Rita resolveu mergulhar no "Instagram". Quando abordou a guerra colonial, o João decidiu fazer uma guerra "online" com o colega do lado. A reflexão sobre a natureza dos partidos políticos foi ofuscada pelas imagens dos guerreiros de "wrestling" do telemóvel do Hugo. E a emergência do populismo não resistiu ao livro do Harry Potter (na realidade, o Harry Potter também não resistiu ao "TikTok" - pois não, Mafalda?"). Bem sei que estava na fila de trás (local onde se costumam sentar os jornalistas e os maus alunos). Bem sei que, nas filas da frente, havia alunos interessados e participativos. Mas, foi uma espécie de constatação "in loco" de algumas das assimetrias sublinhadas pelo presidente: na política ou na educação "há muito bom e há muito mau". O presidente exortou os jovens: "participem", "envolvam-se", "manifestem-se". Uma parte significativa não respondeu, porque estava demasiado ocupada, a bocejar, no ciberespaço. A dada altura, o presidente contou uma história para ilustrar a importância das pessoas se manterem independentes dos cargos políticos: "Eu tinha colegas meus, jovens, que tinham acabado de sair da faculdade e foram convidados para secretários de Estado. Quando saíram do governo não sabiam o que fazer. Achavam que, depois de terem sido secretários de Estado, só podiam ser ministros ou presidentes de um banco". "O que é que achas que eu devo fazer?", perguntavam-lhe. "Eh, pá! E se fosses trabalhar?", respondia-lhes. A resposta (como é evidente) não é válida, apenas, para ex-secretários de Estado. No final - de novo - as palmas e os assobios, reservados às celebridades. E uma selfie (claro!), para partilhar no ciberespaço.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Coração

por Miguel Bastos, em 17.04.23
- E depois, pai, os meninos começaram todos a falar e a fazer barulho...

- Pois, filho, e a professora claro que se zangou.

- E disse que a culpa era minha!

- E não era?

- Não, pai, eu estava caladinho.

- Devias-lhe ter dito, filho.

- E disse, pai, mas professora respondeu "é, é"!

- E, então, o teu coração ficou triste.

- Não, pai, ficou azul e branco. Como sempre!

Autoria e outros dados (tags, etc)

À porta do liceu

por Miguel Bastos, em 04.04.23
- "Lo".

- Não, "lho".

- Cárálo.

- Não é "lo", o som é "lho", "lho".

- Nam cansigo.

- Tens que praticar.

Português para estrangeiros, à porta do liceu.

Autoria e outros dados (tags, etc)

A Susana e a Madonna

por Miguel Bastos, em 02.06.22

A Susana andava louca pela Madonna. Elogiava-lhe o estilo, a dança, o ritmo, as melodias, as letras. "As letras, Susana?!", perguntei-lhe. "Sim", respondeu-me, "ela tem letras espetaculares". Eu tentava a minha melhor imitação do "Like a virgin" e desdenhava da Madonna a imitar a Marilyn Monroe no "Material girl". "Já ouviste o novo disco?", perguntou-me. "Ainda não, mas também não tenho pressa". E ela: "Tens que ouvir o 'Papa don't preache'". "Ai, sim?". "Sim, fala de uma miúda que engravidou e quer ficar com o bebé. É uma mensagem muito importante para as raparigas". "Certo", concedo. Nem todas as raparigas são como a Susana: forte, decidida, senhora do seu nariz. Senhora do seu corpo todo. "Sabes, Susana, podias ouvir outro tipo de raparigas: a Siouxsie (Susan / Susie) Sioux, por exemplo. Para além de ter o teu nome, é muito mais parecida contigo". E era: o cabelo preto, a postura, a garra, a atitude. "Eu não gosto muito dessas coisas: gótico, punk e não-sei-quê". A pouco e pouco, a Susana foi desaparecendo. Não a voltei a ver. Contaram-me que o pai a encontrou, à noite, no quarto, com um bebé sobre a barriga.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Xeque

por Miguel Bastos, em 28.03.22

xadrez.jpg

- Pai, não vai perguntar como é que correram a aulas?

- Vou. Como é que correram?

- Correram bem, sobretudo a aula de xadrez.

- Que bom! - Não queres saber porquê?

- Claro que sim. Porquê

- Porque o professor faltou.

- Ahhh...

- Ai, credo, eu sou tão engraçado!

Autoria e outros dados (tags, etc)

Pedir o orçamento

por Miguel Bastos, em 26.10.21

pastel carne.jpg

"Pago já", dizia o cartaz, "ou é melhor pedir um orçamento?" Todos se riram, menos eu. Não percebi a piada. Explicou-me um dos candidatos da lista C: o atendimento, no bar do liceu, estava cada vez pior; os preços estavam sempre a mudar; o pré-pagamento obrigatório era uma descriminação. Daí a piada: "percebeste"? "Mais ou menos", respondo. Faltava-me perceber a palavra "orçamento". "Acho que é a fatura", dizia o Zé. "Não, acho que é a senha", dizia o João. "Não é a mesma coisa?" "Não, porque a fatura pagas depois". "E a senha?", insistia o Zé. "A senha pagas antes". "E o orçamento?", perguntei. "Então, o orçamento..." Continuava sem perceber o significado, mas já dava para ver que não era o único. "A ideia", insistia a consciência política do grupo, "é gozar com a burocracia do bar, percebeste?" "Acho que sim", disfarcei. Agora, tinha mais uma palavra para descobrir no dicionário: "burocracia". Agora, que é como quem diz. Agora, estava demasiado entretido com um pastel de carne, ainda quente, acabado de sair do forno. Continuava sem saber o que era o orçamento. Mas percebi, logo, que era algo que não se devia decidir a quente.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Sem papel

por Miguel Bastos, em 21.05.21

mais telefones na escola.jpg

O governo quer acabar com os exames e as provas em papel. Uma boa medida para estimular a utilização das ferramentas digitais. Já não era sem tempo. Com tantos telefones, tablets e computadores, os miúdos passam o tempo agarrados a livros e cadernos! Se eu os apanhar, um dia destes, a escrever poemas num caderninho, ou a ler um romance numa paragem de autocarro, vou-lhes dizer das boas: "Olha lá, meu menino, é assim que tu achas que vais passar nos exames, é?!"

Autoria e outros dados (tags, etc)

Vai ficar tudo bem

por Miguel Bastos, em 23.04.21

GRADEAMENTO.jpg

A carrinha das obras está estacionada em cima da passadeira. Podia ser pior. Podia estar em cima do passeio. Podia, mas não pode: porque o lugar já está ocupado pelo pai devoto, que aguarda que o filho saia da catequese. Ao pé da escola, o senhor que acaba de urinar entre os contentores do lixo, atravessa a estrada, a fechar a breguilha, e começa a esbracejar porque, entretanto, uma senhora começou a apitar. Não devia esbracejar, porque, na realidade, a dita senhora não está a apitar para ele. Está a apitar para o autocarro de transporte escolar que parou junto à escola. Realmente, não faz sentido: um autocarro de transporte escolar, a parar junto a uma escola. De resto, a escola que nem devia estar ali - junto à estrada.
 
Vamos sair melhores da pandemia? Vamos, pois! Mas isto não é assim, de um dia para o outro. Por favor, vamos com calma - que a pandemia ainda agora começou. Pessoalmente, espero que não acabe tão cedo, porque precisamos de mais tempo para melhorar.  

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tomas, man?

por Miguel Bastos, em 23.03.21

mann.JPG

- O que é que estás a ler? Tomas Men?
- Thomas Mann.
- Foi o que eu disse. É um super-herói?
- Não, é um escritor.
- Estou a ver. Um escritor com nome de super-herói.
- Mais ou menos.
- Um livro, um café, um cigarrinho...
- Exato, é uma combinação perfeita.
- Certo, vou pedir um fino. Também tomas, man?
- Pode ser.
- Percebeste? Tomas, man?
- Percebi. E pode ser.
Nessa altura, o estômago aguentava bem as misturas: música e literatura, noitadas e cinema, miúdas e filosofia. Por causa deste livro, há muito anos, e durante vários meses, Thomas Mann foi conversa de café.
- De café e de cerveja, man!

Autoria e outros dados (tags, etc)


Mais sobre mim

foto do autor


Calendário

Abril 2024

D S T Q Q S S
123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
282930

Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Arquivo

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2023
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2022
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2021
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2020
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2019
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2018
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2017
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2016
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2015
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D