Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Amor é Amar

por Miguel Bastos, em 19.01.21

carlos carmo.jpg

Há um disco do Carlos do Carmo que se chama "Mais Do Que Amor é Amar". Gosto muito do título, porque nos remete para a ação. Mais importante do que louvar o amor, um conceito necessariamente abstrato, é praticar o amor. Carlos do Carmo morreu, no início deste ano, e eu lembrei-me de partilhar a pequena história de uma entrevista que estava prevista para ser em estúdio, mas que acabou por ser feita ao telefone. Uma coisa minha, corriqueira, mas que me marcou muito e talvez fosse agradar a alguém: 200, 300, 400 pessoas, talvez. As que, habitualmente, me leem por aqui. Mas, o texto teve um impacto surpreendente: no Linkedin, por exemplo, foi lido por mais de 60 mil pessoas. Já me tinha acontecido uma ou duas vezes, nem sempre pelas melhores razões. Por exemplo, por criarem uma polémica que não procurei. Normalmente, encolho os ombros e sigo em frente. Deixo de ser dono do que publico. Desta vez, porém, fiquei, sinceramente, feliz pelo texto ter tocado muitas pessoas. Pelo Carlos do Carmo - pela sua arte, pela sua vida, pela sua voz - mas, também, por achar que se praticou o amor. E estamos tão necessitados dele.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Covid-21

por Miguel Bastos, em 18.01.21

sabonte amarelo.jpg

Mais uma fotografia de sabonetes. Que a COVID-21 está para lavar e durar.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Confinamento

por Miguel Bastos, em 15.01.21

casa.jpg

Ficar em casa. Cada um na sua.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Cabeleireiros

por Miguel Bastos, em 14.01.21

barry.jpg

Lembrei-me, agora, que os cabeleireiros vão fechar. Se calhar, devia ter pensado nisso mais cedo.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Enevoado

por Miguel Bastos, em 12.01.21

oculos.jpg

Máscara e óculos. Vejo tudo enevoado. Às vezes, fico muito irritado. Outras vezes, até gosto. Parece que estou em Londres. Em tempo de pandemia, usar óculos e máscara é o cosmopolitismo possível.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Hepatologistas

por Miguel Bastos, em 11.01.21

Por causa da pandemia, os media têm ouvido (e bem) epidemiologistas, virologistas e especialistas em saúde pública. Acho que está na altura de ouvir, também, os hepatologistas. Por causa dos maus fígados.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Covid-19: mais de 10 mil casos

por Miguel Bastos, em 06.01.21

Com altos e baixos, a pandemia tem sido uma montanha russa. Hoje, foi Everest.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Papel higiénico

por Miguel Bastos, em 30.12.20

capa do i.jpg

Para quê esta capa do jornal "i"? Para nos lembrar que este ano foi um bocado "cocó" e para nos oferecer um rolo de papel higiénico, patrocinado por uma grande marca do setor. O anúncio diz que o papel é perfumado. Mas, não sei porquê, isto não me cheira nada bem.

Autoria e outros dados (tags, etc)

2020: perspetiva

por Miguel Bastos, em 29.12.20

pano cru.jpg

2020. Sejamos objetivos: um ano em que foram (finalmente!) reeditados os dois melhores discos de Sérgio Godinho não pode ser assim tão mau. Vamos lá, então, ter algum distanciamento e pôr as coisas em perspetiva. 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Os velhos

por Miguel Bastos, em 21.12.20

velhos.jpg

A Rita abria os braços e corria para o televisor, a sorrir: "SA-RA-MA-GO!" A menina não tinha, ainda, 2 anos e não entendíamos a razão de tanto entusiasmo. Com o Nobel, Saramago tinha passado a aparecer muito no ecrã. Mais tarde, percebemos que a pequena Rita gritava "SA-RA-MA-GO!" sempre que via um senhor velhinho na televisão. Concluímos que, habitualmente, não há muitas pessoas de idade na televisão. Se não tivesse crescido, talvez, hoje, a Ritinha gritasse "LOU-REN-ÇO!" - outro velhinho excecional, recentemente falecido. Ontem, muita gente ficou muito entusiasmada com a capa do jornal Público. O próprio autor das imagens da capa, Adriano Miranda, confessava, no dia anterior, que estava tão excitado, que não sabia se iria dormir. Na capa do jornal, não estava um escândalo político, nem uma vitória desportiva, nem sequer um velhinho excecional: estavam velhos. E uma pergunta, inquietante, no interior: "Porque escolhemos não ver os velhos?" E um texto, assombroso, da escritora Dulce Maria Cardoso, que, a dada altura, refere: "Todas as crianças são parecidas entre si, os velhos são velhos cada um à sua maneira". Tínhamos, então, velhos no jornal - o grupo mais afetado pela pandemia. Muitos velhos. Mas, cada um com o seu nome, a sua idade, a sua profissão. Cada um "à sua maneira". Só isto: que é tanto.

Autoria e outros dados (tags, etc)


Mais sobre mim

foto do autor


Calendário

Janeiro 2021

D S T Q Q S S
12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31

Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D