Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Palavra do ano: "guerra"

por Miguel Bastos, em 05.01.23

"Guerra" é a Palavra do Ano, de 2022. Numa altura de abundância de palavras (ditas, escritas, gritadas, escarrapachadas), em que se usa e abusa das palavras, escolher uma palavra - uma só - por ano, soa a tarefa hercúlea. Quando a iniciativa da Porto Editora começou, perguntei-me se fazia sentido elaborar um "top" de palavras, submetê-las a votação e eleger uma só palavra. Porque a escolha pode refletir, apenas, a espuma dos dias. Mas, também é verdade que pode servir de barómetro, que ajuda a perceber os assuntos que mais preocupam os portugueses. No ano de 2022, marcado pela invasão da Ucrânia pela Rússia, a palavra escolhida foi "guerra". As palavras relacionadas com a Covid-19, que tinham dominado os dois últimos anos (no ano passado foi "vacina"), desapareceram. Se passarmos por 2017, ano dos grandes incêndios, a palavra do ano foi, precisamente, "incêndios". Em 2011, o ano da chegada da troika, a palavra escolhida foi "austeridade". Uma palavra - uma só - pode dizer muitas coisas. Pode dizer muito.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Último dia útil

por Miguel Bastos, em 30.12.22

"Entrámos no último dia útil de 2022", diz-me a minha rádio, logo pela manhã. "Útil"? É capaz de ser exagero!

Autoria e outros dados (tags, etc)

Força

por Miguel Bastos, em 06.12.22

Hoje, o grande objetivo de Portugal é chegar aos quartos.
O meu também. E o dia mal começou.
Força Portugal!
Força eu

Autoria e outros dados (tags, etc)

O mais rico

por Miguel Bastos, em 22.11.22

calouste.jpg 

Deve ser por causa do mundial e coiso, mas está-me a apetecer ler coisas sobre "o mais" isto e aquilo. É altura de "rankings", dos "mais" do mundo: o "mais caro", o "mais rápido", o "mais famoso". Neste caso, optei por o "mais rico". Não sei se é por causa dos relvados - lá da casa dele, em Lisboa - mas, sempre fui "à bola" com o senhor Calouste.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Autoestrada da comunicação

por Miguel Bastos, em 16.02.22

autoestrada pequena.jpg

Estava eu a preparar-me para ultrapassar um camião, na autoestrada, quando este resolve passar para a faixa da esquerda. Percebo que tenta ultrapassar outro camião. Reduzo a velocidade, enquanto sopro para as narinas. O camião à minha frente leva materiais de construção, o da direita leva uns automóveis franceses bem bonitos. Vai atrás de um terceiro camião, que leva galinhas e pintainhos. O camião à minha frente não consegue ganhar velocidade, para ultrapassar os outros dois e encostar. Mantenho-me atrás dele, enquanto se forma uma fila de carros atrás de mim. Olho para o camião ao meu lado - o que leva os automóveis - e faço um gesto de apreciação com o polegar para o motorista, que me responde esfregando o polegar e o dedo médio - como que diz "quer comprar?" Digo que sim, com a cabeça, e ele responde fingindo que assina o contrato de compra e venda. Volto a dizer que sim com o polegar, mas, entretanto, o camião que levava as galinhas entra para a área de serviço e o camião à minha frente consegue, finalmente, encostar. Faço um gesto ao motorista que leva o camião com os automóveis, a pedir desculpa, apontando para a fila de carros atrás de mim. O senhor acena, compreendendo a situação. O negócio foi com os pitos.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Angela

por Miguel Bastos, em 15.02.22

angela.JPG

Ontem, à noite, a Angela apareceu lá em casa. Assim, sem avisar. A fazer olhinhos. (E que lindos olhos ela tem!) Oh, Angela (como é que eu hei de dizer isto?)! Oh, Angela! Eu... eu... sou um homem casado!

Autoria e outros dados (tags, etc)

Dia dos namorados

por Miguel Bastos, em 14.02.22

É dia dos namorados. Mas, por favor, não se ponham para aí a dizer que gostam de ouvir baladas do Phil Collins. Porque é meloso. Porque é piroso. Façam como eu. Ouçam-nas, mas não digam a ninguém.

Autoria e outros dados (tags, etc)

A Rádio

por Miguel Bastos, em 13.02.22

radio days.jpg

Humorista, Ricardo Araújo Pereira gosta de fazer rir as pessoas, sem lhes tocar. O humor, defende, deve ter a capacidade de provocar uma reação física involuntária, usando, apenas, palavras. Na rádio, usamos muitas referências visuais. Dizemos "pintar uma reportagem", "tirar retratos", "fazer o filme", "levar ao local". A rádio cria imagens. É os olhos do ouvinte. A televisão também faz isso? Claro que sim, mas usa imagens. Que é como fazer rir, fazendo cócegas.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Whitney Houston

por Miguel Bastos, em 11.02.22

whitney.jpg

Whitney Houston morreu, há 10 anos. Há 10 anos, (lembro-me bem) os canais de notícias portugueses resolveram colocar imagens em direto dos canais americanos, para acompanhar as cerimónias fúnebres da cantora. A antecessora da CNN Portugal (que, não sei se se lembram, se chamava TVI 24) ia tentando acompanhar a cerimónia em direto, com narração em português. Viam-se imagens da família e de pessoas do mundo da música e do espetáculo, mas as pessoas, em estúdio, não as reconheciam. Entretanto, chamaram (e bem) algumas pessoas da rádio. Porém, também não ajudaram muito. Algumas, escolheram o registo pessoal e disseram coisa tão importantes como "quando saiu o 'Bodyguard' chorei baba e ranho" (algo que qualquer leitor da Crónica Feminina poderia ter dito). Outras, puseram o coração (e o ranho) ao largo e agiram como profissionais. "Aquela senhora deve ser avó da Whitney", dizia um. Era a cantora Aretha Flanklin. "Eu acho que não, acho que aquela é a Aretha Franklin. A mãe..." ("sim, a mãe, que disparate", dizia o da avó) "deve ser a outra senhora". A outra senhora era a cantora Dionne Warwick. "Que também é cantora", dizia a outra.
"É", disse eu, em voz alta "são todas. A Aretha Franklin é cantora (talvez a maior cantora "soul" de sempre). A Dionne Warwick (maravilhosa!) também é cantora. Mas não é avó, nem mãe de Whitney. É prima. E é sobrinha de Cissy Houston (também cantora), mãe de Whitney".
"Estás um bocado irritado", disseram-me lá em casa. "Estou", respondi, "porque ou isto não é importante e não sei porque é que estão a fazer esta emissão. Ou, então, convinha que não dissessem tantos disparates".
Whitney Houston morreu, há 10 anos, vítima dos mesmos excessos, de outras vedetas do mundo da música. Sempre achei que tinha uma voz e um talento muito superiores à sua música. Uma pena.
As televisões mudam de nome, mas continuam a fazer maratonas de disparates. Outra pena.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Botar sotaque

por Miguel Bastos, em 08.02.22

"Eu vou botar um pouquinho de sotaque, um pouquinho só", disse Vinicius de Moraes, antes de oferecer, a Amália, o fado "Saudade do Brasil em Portugal". Foi registado, em 1970, num disco conjunto. Passaram mais de 50 anos, e Caetano (um eterno apaixonado por Amália e pelo fado) repete a gracinha. Bota um sotaque para cantar "Você-Você", com a maravilhosa Carminho - que já cantou o tema de Vinicius e está habituada a cantar com os deuses. A canção está aqui, com um vídeo a registar o momento, mas o disco "Meu coco" merece ser ouvido, de fio a pavio. Começa por nos cantar que "O português é um negro dentre as eurolínguas", para (espero não estar a dar com a língua nos dentes) nos levar aos mais variados "brasis", até desembarcar em "Você-você". Não é, no entanto, o fim da viagem. Depois de um "quase fado", com o bandolim a fazer de guitarra portuguesa, chega a certeza de que "Sem samba não dá". A chegar aos 80 anos, o mais jovem de todos nós, dá-nos um "best off" de inéditos: intemporal e contemporâneo, ousado e familiar. Caetano dá-nos uma obra prima. A obra prima do mano. O mano Caetano.

Autoria e outros dados (tags, etc)


Mais sobre mim

foto do autor


Calendário

Abril 2024

D S T Q Q S S
123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
282930

Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Arquivo

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2023
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2022
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2021
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2020
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2019
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2018
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2017
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2016
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2015
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D