Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Mau tempo no canal

por Miguel Bastos, em 15.01.16

açores alex.jpg

Em Portugal, até o tempo é brando. Não temos nevões siberianos, nem secas africanas, nem inundações asiáticas. Não há tsunamis, nem tempestades, nem terramotos. Até nos lembrarmos dos Açores. Os Açores têm tudo: vulcões, sismos, tempestades, ciclones, furacões. Os Açores é um Portugal estrangeiro. Até nisto.

 

Estive nos Açores, há uns anos. E há uns anos que prometo, a mim próprio, lá voltar. Nas Flores, percebi que o mau tempo está sempre presente, na cabeça dos habitantes. Há sempre gente de olhos postos no mar, à procura dos barcos, que levam e trazem pessoas e as coisas de que as pessoas precisam. Há sempre gente, de olhos postos no ar, à procura dos aviões que os deixam menos sós, no meio do Atlântico. Todos têm animais em casa e a dispensa cheia, porque há dias em que a ilha fica sozinha. E, depois desses dias, há mais dias iguais. Desta vez, as ilhas das Flores e do Corvo, que normalmente estão mais sujeitas ao mau tempo, devem estar fora de perigo.

 

Hoje, o “Alex” vai aos Açores. Nome simpático para um furacão. Espero que não seja demasiado bruto. Os Açores podem ter pinta de estrangeiro, mas são portugueses. Brandos e encantadores.

Autoria e outros dados (tags, etc)



Mais sobre mim

foto do autor


Calendário

Janeiro 2016

D S T Q Q S S
12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31

Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D